Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Retrospectiva BBB10: os finalistas (Parte 2)

Para mim, a melhor frase desse BBB10 partiu do Big Boss no twitter: “nós (a produção) escolhemos os piores, vocês escolhem o menos pior“. E a vitória de Dourado com todas as suas imperfeições é um sinal de como cada participante também teve seus excessos (ou falta de algo a mostrar) que justificassem sua eliminação no jogo. O problema é fazer com que pessoas com o ego tão inflado percebam isso – ainda mais recém-saídos da casa, na condição de sub-celebridades aqui fora, as últimas bolachas do pacote para um tanto de gente carente que se fascina pela figura deles. Por isso, alguns ex-confinados deste BBB10 devem demorar um pouco a aceitar a vitória do lutador, se um dia o ego permitir que a ficha caia.

No BBB dos imperfeitos, seria estranho se Cadu vencesse, por exemplo. Não é o “mais querido da casa” que normalmente vence este jogo, tampouco aquele que nunca chateou o público. Vamos às últimas considerações da edição:

Dicésar – O Dimmy foi o grande rival do Dourado. Tanto que o quinto e último paredão do lutador foi sim uma espécie de final antecipada. O problema é que para um programa que já teve Jean Willys entre suas figuras mais destacadas, a personalidade de Dicésar ficou a dever à expectativa do público. Muito carimástico e munido de boas sacadas para a edição, por outro lado a drag oscilou entre vencedor e perdido no jogo. Tivemos uma grande torcida anti-Dourado que centralizou suas esperanças no Dimmy por falta de uma opção melhor para antagonizar contra o jogo do lutador, diga-se.

Lia – Fora da casa, ela mesmo admitiu que sobreviveu por muito tempo por conta de sucessivas imunidades. Em algum post deste blog, eu tinha cantado este quarto lugar da Lia, feito Ana Carolina no ano passado. A dançarina foi vitoriosa ao conseguir limar alguns adversários com seu discurso repetitivo, mas nunca conseguiu equilibrar sua rejeição. Falta de carisma mesmo. Dura, Lia tinha um trunfo de vencedora – a lealdade por Cadu – mas seu ataque aos opositores tornou-a uma figura cansativa para o público. Nem os douradistas seguraram a onda.

Cadu – O comportamento gente fina dele trazia uma certeza: sem dúvida o Cadu ia agradar muita gente. Foi o mais querido da casa, tanto que saiu no terceiro lugar fazendo festa com os ex-confinados e a família e tinha vários simpatizantes aqui fora. Mas sem o cu na reta, sem passar por paredões, fica mais difícil. Cadu não inflamou sua torcida, não mexeu pra valer com as pessoas e isso é o que, no fundo, conta pra ganhar o jogo.

Fernanda – Grande azarão do BBB10, até ela deve demorar a entender direito porque chegou à final. Sua presença na finalíssima pelo menos serviu para equilibrar um pouco o achismo do trio Cadu-Lia-Dourado e legou à dançarina um quarto lugar merecido, convenhamos. Empurrada pela produção, Fernanda foi a última cartada da Globo para provocar alguma reviravolta no jogo desde que “capslockeou”. Não adiantou. Afinal, a torcida douradista já estava preparada pra tudo.

Dourado – O BBB10 girou em torno dele. A torcida anti-Dourado era maior do que a verdadeira torcida de qualquer outro confinado. Ele mereceu o prêmio? Depende. Se encararmos o BBB como espelho fiel da realidade, acho que nenhum dos 17 merecia. Talvez Cadu? Como jogador, creio que Dourado mereceu sim. Ele criou uma empatia com o público internauta – que este ano teve a vantagem de ter o mesmo peso de voto do telefone e SMS – ao alertar que a vida de ex-BBB não é um mar de rosas e a ilusão de fama/vida fácil pós-programa é apenas uma isca para todo tipo de gente se inscrever no programa e a Globo fazer sua seleção “dos piores”. Ou seja, apesar de controverso e da imagem de brutamontes, Dourado tinha bons momentos de lucidez e não era só jogo o tempo todo. No entanto, com a experiência de seis anos atrás, captou direitinho que o BBB é uma disputa para minar a reputação alheia e tratou de fazer isso com os adversários antes que fizessem contra ele. Sabia o momento certo de emplacar alguma briga: pós-votações, sobretudo. Ainda assim, Dourado não tinha controle 100% de seu trunfo e um fator que fugia de seu alcance e de quaisquer confinados decidiu a fatura: a torcida. E sem ela, fica difícil ganhar o BBB. Max, Alemão & Cia que o digam.

Pessoal, se minha vida permitir, ano que vem tem mais. Não posso prometer, mas quem sabe?

Obrigado a todos que leram, participaram, concordaram, discordaram.

Abraços e Beijos,

Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)

Fernanda e Serginho?

Pff.

Por Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)

Sumiço e Justificativa

Pessoal, arrumei vários trabalhos que me tomam dia, tarde e noite até Maio. Não tenho mais como comentar o jogo com a mesma assiduidade e observação de antes, mas vou procurar postar – pelo menos semanalmente – em alguns momentos cruciais do programa.

Sobre a eliminação de terça passada, como o Bial até mencionou, o paredão do Eliéser foi o da saída da Cacau, na verdade. Eu não teria o que acrescentar muito mais sobre isso também… Somente que o bobão perdeu o principal trunfo de sua manjadíssima estratégia, se anulou e ficou sem saber o que fazer dentro casa. Ele estava visivelmente sem vontade e perdeu o “brilho” daqueles momentos sem noção que só a gente viu =) Foi tarde.

 Ultimamente eu achei o BBB10 monótono. Senti isso quando postei sobre o Ranking do Milhão e Meio. Com 9 pessoas na casa a história se mostrava tão, mas tão previsível. Que é até comum perdermos um pouco o interesse. Por isso e pelo ritmo puxado de trampo, tô curtindo uma folguinha de BBB e atualizarei aqui em passos mais lentos. Acho que devia essa justificava a vocês.

Abraços e Beijos,

Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)

Ruim para os dois

A briga entre Dicésar e Dourado após a formação deste paredão – que conta além dos dois com a presença de Eliéser – foi um momento bem ruim para os dois participantes. Olhando o jogo, Dimmy se colocou com toda força contra a torcida do favorito e – não fosse Eliéser quase uma alma penada dentro da casa hoje – a drag sairia com toda certeza. Já Dourado reforçou a imagem que seria supostamente homofóbico com a declaração de que “apesar de ser viado”, Dimmy teria de “ser homem” para sustentar suas posições. Pegou pesado com a grosseria. Assim como Dicésar perde a razão ao se envolver em tanta fofoca e deste modo dar a deixa para que ninguém confie nele.

Eu tento não me envolver com esse programa além da diversão e da análise do jogo – afinal não me interesso pela vida de ex-BBB – mas admito que deste momento especificamente senti uma energia ruim. Porque enfim, a gente sabe da tensão aqui fora. A briga coincide com a publicação da matéria com Dourado na revista Veja, abordando seu perfil “macho alfa” e a repetida polêmica dos homossexuais X AIDS. Dourado vai ter de adotar uma postura bem “pianinho” agora para não dar tanto cabimento a mais uma polêmica que se desenha por aí envolvendo sua relação com os gays da casa.

Por Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)

Uma Frase…

Vocês acham que por estar aqui a vida vira um mar de rosas, mas estão enganados…”

Podem falar o que for, mas por conta dessa lucidez Dourado merece muitos pontos de vantagem em relação a esse grupo. Gosto disso. Mais essa:

Tem gente aqui que é deslumbrado. A Anamara já chegou aqui achando que iria ter um quadro em programa da Globo, que iria ser cantora… Eles viajam! Isso sim é uma vantagem para mim.”

Quando o apresentador diz tudo…

Sempre é polêmico quando Pedro Bial evidencia o olhar da direção/produção do programa (incluso ele) no discurso de eliminação. Mas queria dizer que sempre achei fundamental esse tipo de interferência. Não defendo imparcialidade do apresentador. Não é à toa que o blog tem este nome: um trocadilho com o título do programa + nome do diretor (Boninho). Defendo porque acredito que o jogo precisa ser conduzido sim, que à revelia dos participantes tudo ficaria ainda mais previsível. É mais um elemento. E quem entende como funciona a televisão e não quer se decepcionar com bobagens deveria encarar isso com naturalidade. Essa é minha opinião. Respeito outras divergentes de quem por acaso lê o blog.

Ontem mesmo li uma nota com a seguinte citação de Boninho num site (que não vou lembrar agora qual é): “nós escolhemos os piores (para entrar na casa), vocês escolhem o menos ruim (para vencer)”. Concordo sem tirar, nem pôr. O jogo do BBB seria uma monotonia só se por acaso predominasse um clima cordial lá dentro, em que ninguém se emputasse com voto ou coisa parecida. Os defeitos evidentes de cada confinado são a engrenagem do jogo. E nem sempre o menos defeituoso vence, bom lembrar.

Eu concordo, em parte, com a visão de alguns blogs de que os participantes são um espelho de tipos de comportamento desejáveis ou indesejáveis. Mas é bom perceber que quem monta esse espelho somos nós, o público, que repercutimos, damos (ou não) cabimento ao programa. Com a declaração citada, Boninho dá a deixa para que as pessoas vejam que o BBB não é a corrida do mais íntegro, e sim uma disputa daquele que queima a reputação alheia de forma mais convincente. Eis o raciocínio que justifica a permanência da Lia por lá até hoje – a maior jogadora desta edição – apesar de tanta rejeição dela aqui fora.

Usei os três parágrafos acima para falar do papel da direção porque hoje foi assim. O discurso do Bial traz um teor geralmente carregado de subjetividade, até para despistar um entendimento mais óbvio dos confinados. E nesta terça o texto trouxe muita coisa da percepção do público, ou da maioria deste. Acho que foi uma das situações desta edição (falo do romance frouxo entre Cláudia e Eliéser) em que houve uma maior sintonia entre o viés do apresentador e do público – sobretudo de quem acompanha o BBB além dos canais oficiais. Ao meu ver, Bial falou tudo sobre a saída da Cacau e eu particularmente não teria muito mais a acrescentar. Vamos aos drops, então.

Drops

Ela é bem mais bonita do que nessa foto, na verdade / Fonte: globo.com

* Cacau é linda, gostosa, e com toda aquela bunda vai vender revista pra caramba quando posar nua. Disso eu não tinha dúvida desde o início, a não ser que ela tivesse passado pouco tempo na casa. O que não é o caso. Cinqüenta dias são o bastante para ela aproveitar bem os 15 minutos de fama. Atributo físico sobrando para isso ela tem. Além disso, transmitia uma certa esperteza e uma dose de bondade (ponto dela com o público) que até me fizeram pensar que ela poderia ir mais longe no jogo. Era a “falsa boba” presa pela (anti) estratégia do maior bobão da casa. Rodou por isso.

* Eu entendo a torcida que existe a favor do Cadu. Ele é carismático e não vacila facilmente, apesar de ser o secretário da Lia. E faz o jogo de “juiz” das discussões, apartando as brigas e aconselhando os brigões. Mas que é um negócio arriscado, pois sem passar por paredões ele pode acabar feito o Marcão do BBB8.

* Não acredito que “intimamente” Michel e Dicésar enxerguem tantas virtudes em Eliéser principalmente depois da patada do Bial no discurso de eliminação da Cacau. O jogo Puxadinho X Casa de Luxo força os dois a manter uma relação de aliado com o bobão. A curto prazo Dimmy terá de pegar um paredão duplo com Fernanda ou uma Maroca da vida e, eliminando uma delas, vai entender que a disputa não é 100% focada em “lado contra lado”, diferente do que aconteceu no BBB9.

* Tenho uma curiosidade e se algum leitor do blog souber, me responda: alguém dentro da casa já especulou que essa força do Dourado aqui fora seria em parte uma herança da participação dele no BBB4? Tenho impressão que todos acham que ele era mega rejeitado em 2004 e ponto. E não foi bem assim.

* Restando nove participantes na casa e menos de um mês para a final, no próximo post vou falar sobre as chances de cada um vencer ou seguir adiante no jogo segundo minha opinião. O engraçado RSFD já fez isso e eu recomendo a análise deles também.

Por Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)

A Merda do Fanatismo e Os Pseudo-Fortes

Acho ridícula e doentia essa rivalidade entre as torcidas (com algumas exceções, claro) do Dourado x Homossexuais do BBB10 (Dicésar, Angélica e Serginho). Por isso só vou postar detalhadamente sobre o paredão atual após a eliminação. Eu já falei algumas vezes do Te Dou Um Dado? aqui e vou citar de novo porque a Lele, a Polly e o Didi sabem olhar o jogo com um humor competente e divertido. E o post da Polly falando de como o BBB enlouquece as pessoas MAS APESAR DE TUDO é só um programa de TV é ótimo. Recomendadíssimo. Leiam.

Bem, mas a princípio esse post pré-eliminação surgiu de algo que pensei depois do barraco de hoje. O Eliézer é tão aloprado que me fez enxergar alguma razão na Lia. Tá certo que ela já assegurou o atestado de insuportável não é de hoje e a “chamada” para a conversa faz parte – como já fez outras vezes – do joguinho sorrateiro e manjado. E justamente porque é manjado merecia ser tratado de outra forma caso Eliézer revelasse algum sinal de inteligência.

Lia precisa de palanque para emplacar suas teorias de perseguição e o bobão armou um comício, ao invés de minimizar a conversa sem se alterar, como bem fez a “falsa boba” Cacau outrora – não por acaso sua namorada no jogo. E o que é pior nisso tudo: Eliézer abusou daquilo que é mais irritante na maioria dos confinados do BBB10. Do direito de “se achar”. Bradou que quer um paredão entre ele e a Lia para que o “Brasil” faça justiça e tire a vilã de lá. Se o cara quer convencer o telespectador que ele ficou putinho porque ela pôs em dúvida seu relacionamento na casa, ele vai fazer o mesmo aqui fora com cada um que questione igualmente? Te prepara, Eliézer, tu tá no BBB.

Tá certo que Lia não é flor que se cheire, mas coitado… e ele? Motivo de piada aqui fora por (quase) tudo que faz na casa. Da formação do casal fake aos chiliques nonsense após cada paredão formado. Eliézer é o que eu chamo de pseudo-forte do BBB. Aquele tipo de participante que vai permanecendo achando que dá as cartas mas no máximo ajuda a embaralhá-las. Maroca já foi mais assim, hoje parece menos. Angélica depois que descobriu o bilhete premiado das placas da falsidade no Carnaval de Salvador também entrou nessa. Provavelmente só até esta terça, se as enquetes não errarem.

Se tem uma coisa que sinto falta do BBB9 é algum resquício de lucidez que baixe a bola dos pseudo-fortes. Quem lembra da edição passada sabe da descrença – de Francine, Flávio, Priscila e até Max – de que Ana Carolina não sairia do jogo fácil ou quiçá já tinha assegurado o prêmio. Era uma leitura que fazia todo o sentido diante do que eles conseguiam ver dentro da casa. Tanto que “mais um tantim” de paredões para a loira e Max não a teria derrubado.

Na edição atual, nego não quer enxergar. Será preciso quantos paredões para a maioria aceitar o favoritismo de Dourado (após duas votações populares em prol dele extra-paredões) e alguém tentar reverter isso de alguma forma mais inteligente do que jogando o lutador em sucessivas berlindas? “Se achar” atrapalha a visão de jogo.

Por Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)

Outra Angélica de novo

Queria ter “lido” qual foi o raciocínio da Angélica ao escolher Cacau e Serginho para acompanhá-la no Quarto Branco. Se ela viu o BBB9, parece que não se preparou direito para o momento. Quis encarar o desafio confortada por dois amigos. Afinal, escolher duas pessoas “toleráveis”, racionalmente pensando, seria o ideal. Quem lembra do que aconteceu na edição passada sabe que o Quarto Branco é abacaxi. Léo não suportou o enclausuramento e pediu arrego. Foi eliminado.

"Desculpa pai, desculpa Brasil"

E agora que Serginho será imunizado pelo público, ao que tudo indica, o que Morango vai pensar ao perceber o vacilo de ter se colocado – levando a Cacau a reboque ou não – no paredão? Enfim, ela escolheu o “conforto” da situação (ou o “menos mal?”) ao invés de tentar enxergar o jogo friamente.

A escolha duvidosa dos companheiros de QB é só mais um reflexo de como a Morango se perdeu no jogo nesta semana. Largou da estratégia coerente e carismática que vinha mantendo desde que voltou de seu único paredão e agora se deixa levar, ao que parece, pelos rumores externos de “falsidade” na Casa de Luxo. E arrumou pretexto para brigar com Dourado – o que não é uma tarefa lá muito difícil, já que desde o início a maioria da casa o enxerga como aquele cheio de defeitos implacáveis e carente de reabilitação. Afinal, se indispor diretamente com Lia, Cadu ou Fernanda seria dar muita bandeira para o fato de que ela se importou com as placas vistas no Carnaval de Salvador, né isso?

A desculpa de Angélica para manter o conflito é um disco arranhado: o velho dilema da casa de que o lutador “não mudou”, e blá blá blá… O problema é que de fato Dourado mostra que é o mesmo cara cheio de tabus e não faz muita conta de esconder isso – atitude que derruba essa especulação dos confinados que ora ele é um anjinho de candura, ora é um monstro. E talvez por isso, independente do teor desses tabus, boa parte do público tem assegurado o favoritismo dele. Vide a conquista do carro hoje.

A torcida comprou o “pacote” com as virtudes e os defeitos. E esse é o maior trunfo de Dourado contra os adversários, que acreditam ainda que, se ressuscitarem o “Dourado 2004”, vão queimar o lutador. O jogo não acabou e pode ser que isso aconteça. Mas é complicado e improvável, afinal já estamos na metade do programa.

Com tudo isso, não sei mais o que esperar da Morango além de reviravoltas suspeitas de comportamento e putaria. E falo disso sem julgamento moral. É certo que apesar do humor instável, Angélica não vacila com suas investidas e tira uma casquinha danada da Cacau. Nesse ponto, está mais que justificada a escolha do Quarto Branco.

Por Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)

Rapidinha Pré-Carnaval…

Pessoal, não sou muito chegado a Carnaval, mas curto feriado. Vou viajar e volto terça para comentar o próximo paredão. Antes e/ou depois da eliminação. Aqui são 7h45 (8h45 de Brasília) e a prova do líder ainda não acabou. Fernanda e o Eliézer ainda esfregam o esponjão. Se o pimpão ganhar, teremos Angélica ou Dourado na próxima berlinda, isso se um dos dois não for imunizado. Se a loira vencer, daí a indicação do líder vai depender do “panorama” de jogo, já que ela se move de acordo com as conveniências.

Como não curto postar apressado e tô louco pra viajar, vou colar aqui para vocês a melhor definição que encontrei sobre o Dourado-participante-do jogo x torcida do Dourado. É da Lele, do Te Dou Um Dado?, no live blogging de ontem antes do início da prova do líder. É para fazer um contraponto com a minha última postagem. E eu concordo com cada linha que ela escreveu. Saquem:

Tipos, eu não torço por ele porque ele é machista. eu torço por ele APESAR de ele ser machista. não acho que ele seja filhodaputa. acho ele toscão, ignorantão, mas muito bacana, fala o que pensa (…) Agora, tem homem idiota e homofóbico torcendo por ele? opa. assim como tem gente sem caráter torcendo pra cada um da casa ali. não é a torcida de alguém que me faz torcer por esse alguém” (Lele, TDUD?)

Bom feriado a todos!

Por Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)

Dourado também não ajuda…

Quis mostrar em dois posts anteriores que a torcida deste blog por Marcelo Dourado passava longe da questão “homofobia X heterofobia”. E sim por uma situação de perseguição no início do jogo e pelo fato dos atuais confinados apresentarem tantos defeitos difíceis de engolir (independente de orientação sexual) que era mais fácil ficar com o excesso de sinceridade e isolamento do lutador. Com exceção de Angélica, que me agrada sem fazer muita força. Principalmente depois que ela se safou do segundo paredão.

Mas o problema com Serginho hoje no almoço revela que não será fácil manter a torcida caso Dourado cometa deslizes como esse seguidamente. Foi decepcionante, apesar do pedido de desculpas. Me remeteu a um dos primeiros posts do blog, em que eu dizia como andava difícil torcer neste BBB10. Talvez essas situações do jogo entreguem que não é fácil ainda hoje – quase 1 mês depois do programa ter começado. É sempre bom reavaliar a torcida e não se fechar. Ou então nego abraça um jeito passional de lidar com o jogo e pronto. Prefiro ficar com a primeira opção sempre que achar necessário.

Por Felipe (littlebonibrasil@gmail.com)